De volta!

11 12 2009

Caramba, eu REALMENTE fiquei muito tempo sem postar por aqui, hahaha!! Acho que a preguiça reinou aqui durante alguns meses, sabem como é… Mas eu estou vivo, e aqui está a prova! 😄 E agora o fim de ano está chegando, como todo… bem… fim de ano! 😄 E as coisas estão dando certo até agora! =)

Estou com um bom emprego agora! Não é mais aquela palhaçada da Microlins, coisa mais mal organizada que eu já vi na vida… Já estou no CTGEO há alguns meses e lá eu desenho imóveis/quadras/lotes em AutoCAD para prefeituras de diversas cidades da região! Só não recebo tão bem quanto eu acho que deveria, mas de um jeito ou de outro o dinheiro sempre entra, haha! 😄

Ahh claro, e lá eu trabalho do lado da melhor pessoa do mundo, minha namorada linda!!! Palavras não podem expressar o que eu sinto por ela, pois é ela que me faz ser a pessoa mais feliz do mundo!! =D

DSC00223

Quanto a faculdade….. PASSEI DE TUDO!!! E melhor…. SEM NENHUMA SUB!!!
O ANO INTEIRO!!!
Vamos ver se eu consigo repetir essa façanha ano que vem com Micro 1, 2 e Servo! TÔFU!!! x_X

Por enquanto é isso, quem sabe eu num posto mais ainda esse mês/ano, HAHAHA! 😄

@ Take the long way home – Supertramp





Sinal de vida!

15 05 2009

É pessoal, não foi dessa vez que vocês se viram livre de mim! Apesar de não ter dado muito sinal de vida aqui no blog, ele está firme e forte, assim como eu! 😉

Mas falando sério, é que muita coisa andou acontecendo… Faculdade principalmente, agora as provas estão cada vez mais ferradas, e ainda por cima mudaram o sistema das semanas de provas, credo… Vou ter três provas num dia só, tô ferrado! >_< Além das provas, tem o Projeto de Iniciação Científica (ou PIC, para os íntimos) que, apesar de não estar tomando tanto tempo meu agora, duvido que continue assim daqui a alguns meses…

Eu Copiando
Copiando, naturalmente… ;P

Nos tempos livres que tenho, eu nem paro mais em casa, pois eu quero mesmo é sair pra algum lugar, ir nas baladinhas linenses!! Fui em três baladas num período de oito dias, quem diria, eu baladeiro desse jeito, em Lins ainda por cima! Se fosse em Sâo Paulo, pelo menos… xD E se eu não vou até a festa, a festa vem até mim, pois agora minha casa virou point nos finais de semana, o pessoal vive vindo aqui com seus mil notebooks (dá-lhe rede wireless!) pra ficar jogando em rede (ou não, só pra chupar filmes mesmo ;P)… E isso é ótimo, pois a risada rola solta aqui em casa… E agora com o computador novo e o Home Theater, isso aqui virou um centro multimídia! Tem até Karaokê!!! Sim, eu sou desafinado… Sim, eu canto do mesmo jeito… Não, eu não tenho vergonha, pois todo mundo aqui já conhece minhas habilidades no vocal! HAHAHAHA 😀

DSC02028
Concentração do pessoal que tava jogando…

DSC02033
…Goldeneye 007 pra Nintendo 64! \o/ 

Vamos ver… que mais notícias tem pra dar aqui… Ah, claro!! Eu me demiti! \o/ Chega de me matar aos Sábados por uma merreca de salário! Tem coisa bem melhor, mais relacionada à minha área, e com salário maior! 😉 Mas o que me doeu mesmo foi ter que parar de ver os meus alunos… adorava aquele povo, sempre alegre, pronto pra qualquer coisa! Mas claro, a amizade continua!!!

É, por enquanto eu acho que é isso… Queria falar mais coisa, queria falar dela, dizer o quanto as coisas estão mais do que perfeitas… Mas ela sabe que eu penso isso, então num tem problema! Não vou falar dela aqui agora… Quem sabe mais tarde… 😉 *deixando o segredo no ar* xDDD

No mais pessoal, até a próxima!
Keep it flying! 😉

Povo Microlins 4

@ Utada Hikaru – Passion





Covardia

5 02 2009

Normalmente, quando se tem um problema com uma pessoa, a melhor maneira de se resolver isso é justamente tendo uma conversa com essa pessoa. Mas, claro, isso não é o que acontece normalmente.

Pessoas fofocam. Fofocas criam pontos negativos numa pessoa. Pontos negativos geram os “defeitos” de alguém. Esses defeitos criam reclamações. E as reclamações prejudicam uma pessoa profissionalmente.

Eu estou, desde os 3 anos de idade, frequentando salas de aula, e não parei desde então. Já mudei de sala, mudei de escola, mudei até de cidade. Traduzindo: já vi muitos professores, alguns dos quais eu achei rabugentos. Sempre preferi os professores mais alegres e descontraídos.

Eu sou alegre e descontraído.

Quando percebi que iria me tornar um professor, a minha primeira meta foi não me tornar um desses professores rabugentos, de mal com a vida. Quem vê pensa que eles são obrigados (por falta de opção) a irem dar aulas para pagar as contas e que não gostam do que fazem.

Eu gosto do que eu faço.

Quem me conheçe sabe que eu gosto de ajudar as pessoas, independentemente do que seja. Ao dar aulas, eu sinto que estou ajudando essas pessoas em alguma coisa, eu sinto que estou passando algo de útil pra elas, eu sinto que estou fazendo a minha parte para ajudar no desenvolvimento disso que chamamos de mundo.

Eu me sinto feliz dando aulas.

Nas aulas eu faço piadas, desenhos, diagramas, palhaçadas. Eu uso e abuso de variedade, afinal é um curso extra-curricular, você precisa prender a atenção das pessoas. Algumas delas talvez estejam lá por obrigação, porque “a mãe mandou fazer”, e são essas pessoas principalmente que você não pode deixar escapar e cair no mundo do tédio.

Também existe respeito dentro da sala de aula. Claro, você pode usar a Internet e ver seus e-mails na aula, contanto que não abuse e faça os exercícios propostos. Esse é o acordo verbal feito no começo de cada turma que eu tenho. Se alguém desobedecer, eu vou chamar a atenção dela: a pessoa se toca e se comporta. Sempre funcionou e desde que eu comecei a dar aulas, nunca precisei levantar a voz pra ninguém.

Mas alguém não gostou.

Uma pessoa contou pra mãe o meu estilo de aula. A mãe, cabeça fechada do jeito que é, achou um absurdo e disse que a filha não está aprendendo nada com o curso. Claro, isso chegou aos meus ouvidos. “Impossível”, eu pensei, afinal ela era a melhor aluna da sala e passava com 10 em tudo! Como pode uma pessoa que não está aprendendo nada passar com 10 de média? Muito pelo contrário, ela sabe fazer tudo!

Naturalmente, a minha opinião de nada valeu, e a mãe obrigou a escola a trocar o professor do curso, ou ela trancaria a matrícula da filha. Como sempre, o dinheiro fala mais alto, e trocaram o professor.

Sem me avisar.

Me ligam hoje, faltando uma hora pra aula começar, e me avisam de tudo isso. Não quiseram nem ouvir a minha versão da história. Não fiquei triste nem com raiva de ninguém de lá, mas o que me deixou nervoso foi o fato de decidirem o que iriam fazer sem nem querer escutar a minha opinião – a opinião do professor que dava aula pra essa turma.

Eu costumava olhar pra essa aluna com orgulho, vendo que ela era uma pessoa dedicada e que se interessava pela matéria. Agora, o único olhar que eu tenho é de desprezo.

Mas esse não é o fim da história. Os restante dos alunos dessa turma não são apenas alunos… São amigos. E, naturalmente, eles não gostaram da troca do professor. Vão reclamar e vão ameaçar, eu tenho certeza, conheço eles, vão me querer de volta.





Vida trabalhadora

9 07 2008

Pois é, como todo bom universitário sabe, estudar não é o suficiente e realmente acaba tendo uma bela despesa (mesmo pra quem é bolsista integral como eu)… Então, precisamos arranjar dinheiro de alguma forma, certo? E qual seria essa melhor forma? TRABALHANDO! 😀

Sim senhoras e senhores, estou bem no meio daquele tão caótico mundo dos trabalhadores da cidade de São Paulo, que vai desde o vuco-vuco na condução até as pressões e dilemas nos empregos! Sim, empregos, no plural, pois não estou só com um não! Estou com dois empregos, para tentar arrancar o máximo de dinheiro possível nessas férias! Tá certo, não são empreeeeegos… É um estágio e um bico, mas poxa, é igualmente cansativo! Tô até trazendo trabalho pra casa, credo! Mas eu realmente quero comprar uma coisa antes de voltar pra Lins… O que eu quero conseguir até o final do mês? Um Nintendo DS com um Flash Card R4 e um MicroSD de 4GB. Sim, muitas coisas, e coisas caras, mas vocês verão: vou conseguir comprar tudo e ainda vai sobrar um trocadinho pra eu comprar meu querido churros na estação São Judas do metrô! Ô dilícia! 😀 E eu não engordo, maravilha!!!! Hahahaa! 😀

Mas sério, a coisa tá osso… Desde que eu cheguei em Sâo Paulo ainda não vi nenhum amigo! 😦 Claro, o pessoal do trampo são meus amigos, mas eu quis dizer amigos de fora do trampo… Mas, se Deus quiser (e não quiser também) o Ariel vem aqui em casa no sábado, onde a jogadeira vai comer solta por aqui! OPÁÁÁ!!! 😀

Mas eu gosto dessa correria toda, sabem por que? Porque eu gosto de me sentir parte de algo maior, algo que eu já disse em outro post! É gratificante, me faz sentir bem e melhor durante o dia sabendo que o que eu estou fazendo ali na hora vai servir para ajudar em alguma coisa mais pra frente! 😀

E sabe uma coisa engraçada que, quando você trabalha dia após dia no mesmo lugar é difícil de notar, mas que, para alguém que voltou depois de alguns meses (no caso, eu), é muito legal? As mesmas pessoas que você encontrava alguns meses atrás continuam na mesma rotina, nos mesmos horários, nos mesmos locais! Sério, quando eu sentei no mesmo lugar que tinha sentado há seis meses na empresa onde estou trabalhando, nem parece que haviam passado seis meses! Estava tudo igual, como sempre foi, as mesmas pessoas…. Até o sujeito que eu comprava churros no ponto de ônibus estava lá! E o mais impressionante: ele lembrou de mim!

As mesmas pessoas que pegavam ônibus com você, os mesmos motoristas e cobradores que você cansou de xingar pelos mais diversos e variados motivos, e até o mesmo cara que tem uma mochila idêntica a tua e que pega o mesmo ônibus que você! Sério, não parece que se passaram seis meses desde a minha última vinda para São Paulo! 😀

Bom, me empolguei, falei demais, estrapolei e até rimei! 😄
Um beijo e um abraço pra todos! E lembrem-se que tudo na vida tem um lado bom, basta enxergá-lo! 😉

@ Angel Island Zone of Sonic the Hedgehog III – Super Smash Bros. Brawl





Aquecimento Global

12 03 2008

Hoje na faculdade, eu tive que apresentar um trabalho sobre Aquecimento Global numa disciplina chamada Metodologia do Trabalho Científico. Até aí tudo bem, se eu não fosse praticamente o único que falou alguma coisa do grupo de 38 (sim, trinta e oito) pessoas que estava lá para defender o ponto de vista do sujeito de nome Luiz Pinguelli Rosa. Era o seguinte:

Na última aula o professor resolveu passar um tal vídeo de um debate entre esse cara mal-humorado de sobrenome Azevedo (não me lembro do nome do cidadão) e o Luiz Pinguelli Rosa. Depois do vídeo de 20 minutos mal ripado do YouTube, eis que o professor resolve dividir a sala de 76 alunos em dois grupos (por isso o grupo enorme de 38), e então subdividi-los em outros 3 grupos: dois de 13 e um de 12. O meu foi o de 12. Certo, então o que faríamos? Ah, claro, defenderíamos o Luiz Pinguelli num debate que aconteceria entre os alunos na próxima aula. O quê?! NA PRÓXIMA AULA? Ah, fazer o que… 😛

O grupo se reuniu duas vezes para preparar todo o trabalho e decidir quem iria ser o “representante” para falar lá na frente. E adivinham quem foi escolhido por quase que unanimidade? Eu! 😄 Tudo bem, estou querendo treinar a maneira como me apresento em público mesmo (não perguntem porque, nem eu sei responder)…

Leituras e mais leituras durante o final de semana inteirinho, e, aproveitando a nova banda larga, vendo longos documentários do Discovery Channel pelo YouTube sobre o Aquecimento Global. Interessados? São 5 partes, cliquem para acessar: Parte 1Parte 2Parte 3Parte 4Parte 5. Muito didático, eu recomendo! Depois eu também aproveitei para ver outros vídeos… (Nada pornográfico, bando de tarados 😉 )

Beleza, acho que estou pronto! O dia da aula chegou e lá estava eu, no fundão de uma sala anfi-teatro, fazendo uma leitura dinâmica em 20 papéis diferentes simultaneamente enquanto a minha vez não chegava. Até que o professor disse: “Agora, o pessoal defendendo o Luiz Pinguelli Rosa, levantem a mão!” e eu resolvi olhar pra frente. E…

Onde estão as mãos?

Pff, quem disse que o povo levantou a mão? Acho que umas duas pessoas no máximo, daquelas 38 do grupo, levantaram a mão. “Ah não, eu vou ganhar a minha nota, sim senhor” pensei, e então, eu levantei a minha mão o mais alto que pude e consegui a atenção do professor. Permissão para falar!

E lá estava eu, tentando lembrar dos pontos principais do textos e não gaguejar ao mesmo tempo enquanto 75 alunos e um professor olhavam diretamente pra mim. God, não pensei que estaria tão quieto. “Alguém faça um barulho para eu poder respirar peloamordedeus”. Infelizmente, ninguém fez barulho algum. Era só eu e eu mesmo na sala, falando.

Tá no inferno, abraça o capeta, não é mesmo? Então eu resolvi falar tudo de uma vez sem dó nem piedade, usando todo o potencial o meu diafragma para que minha voz conseguisse ecoar por toda aquela sala gigantesca. Por um momento, minha voz me fez parecer mais velho e maduro do que o normal: sinal de que o truque do diafragma estava funcionando e o motivo de estar tudo tão quieto. “Estão prestando atenção em mim! Estão prestando atenção em mim!” pensava, enquanto relia mentalmente tudo de novo.

Um branco, merda! Rápido, preciso encher linguiça. Droga, não consigo me lembrar de mais nada!!! Argh, cartada final: “E essa foi basicamente a conclusão do nosso estudo” eu disse, numa tentativa de finalizar o discurso. Droga, má hora pra isso acontecer. Felizmente, consegui me lembrar de mais coisas quando o professor perguntou se alguém mais queria completar o meu dicurso. Ao perceber que ninguém iria dizer alguma coisa eu resolvi erguer a mão novamente dizendo: “Professor, se ninguém mais for completar eu mesmo prefiro colocar algumas outras idéias em discussão.” Grande jogada! Lá estava eu falando mais e mais e garantindo a minha parcela de nota no final da aula! 😀

Acabei, finalmente! Nem eu mais me aguentava de tanto falar, então eu imagino o resto do povo dentro da sala praticamente pedindo pra acontecer algum tipo de explosão estranha do lado de fora só pra arranjar uma desculpa pra poder sair. 😀

Final de aula, acabou o trabalho! Posso já esquecer esse assunto! Ou não… De tanto ler e assistir coisas à respeito desse assunto, eu acabei até querendo saber mais e mais. Eu não concordava totalmente com o tal Luiz Pinguelli Rosa que eu era obrigado a defender. Muitas coisas que ele diz não estão certas (na minha opinião) e que eu prefiro o ponto de vista do outro sujeito. Na verdade, eu acho que os dois estão tão certos quanto errados nesse caso. Minha opinião é uma mistura dos dois, de fato. Mas o que chamou mesmo a minha atenção durante as pesquisas é que o Aquecimento Global realmente está acontecendoObservem as imagens abaixo, retiradas da reportagem da VEJA:

AlaskaAntes

Vista panorâmica de região montanhosa do Alaska, em 1941.

AlaskaDepois

Em 2004, o mesmo ponto do Alaska apresenta uma paisagem muito diferente: o piso de gelo transformou-se em lago.

ParqueAntes

O documentário “Uma verdade inconveniente”, que contou com participação do ex-presidenciável americano Al Gore, traz essa imagem do Parque Glacial Nacional dos Estados Unidos, em 1932.

ParqueDepois

Após 56 anos, já é possível perceber a diminuição na quantidade de gelo no mesmo ponto do Parque Glacial Nacional.

KilimanjaroAntes

O Monte Kilimanjaro, na África, em 1970.

KilimanjaroDepois

O mesmo ponto do Kilimanjaro 30 anos depois.

CordilheiraAntes

A parte peruana da Cordilheira dos Andes 20 anos atrás.

CordilheiraDepois

O mesmo ponto dos Andes peruano atualmente, com menor cobertura de gelo.

Eu acho que chegou a hora de fazermos algo sobre esse problema, concordam? 😉





Férias acabando…

31 01 2008

É pessoal… E assim mais um período de férias acaba… Hoje é meu último dia no trabalho (aliás, estou postando dele) e amanhã cedo já estarei voltando para Lins! Aliás, isso me lembrou… Devo fazer as quatro malas… Minhas aulas começam quinta-feira, mas um monte de gente só vai na segunda mesmo… O horário acabou de sair, e quarta-feira, que coisa horrorosa! Uma PUTA janela entre as aulas, affe… Mas enfim… Mudando de assunto…

Alguns de vocês já sabem, outros não, mas um dos meus passatempos é abrir o Terragen e fazer paisagens. Todas elas estão no meu álbum do Orkut e no meu DeviantART (sim, eu virei um Deviant! 😀 ), mas agora também vou começar a divulgá-las por aqui. E, naturalmente, vamos começar da primeira!

Paisagem 1

Comentem, comentem! 😄 Ou vejam no DeviantART e comentem lá! 😄

E agora, passando o Meme que o blog Mortandela Frita me deixou…

Melhor momento:
“Amanhã vamos fazer rafting, filho!”

Pior momento:
“Putz, não vai dar pra ir no rafting, está chovendo…”

Arrependimento:
Não ter dito quando tive a chance.

Algo que aprendi:
“Sometimes you’re ahead, sometimes you’re behind”

Algo que pretendo esquecer:
Os terríveis momentos da vida.

Música que mais ouvi:
Hero, The Sims 2… O Media Player contava mais de 100 execuções em um único dia.

Filme que adorei assistir:
Muitos, muitos, muitos…

Promessa para 2008:
Sucesso!

Passo a bola para:
Os patos Ariel e Zé (quando este resolver criar um blog XD)

Abraços à todos, e até Lins! 😀





Voltando!

19 01 2008

Voltei para São Paulo, finalmente, depois de 4 maravilhosos dias em Serra Negra! Muito sol, muita água, muita areia! Pois é… um calor desgraçado e um sol escaldante me fizeram pegar uma corzinha que vão durar alguns dias aí! 😉

Foi muito divertido lá, fizemos pirâmides na piscina, jogamos Banco Imobiliário (eu ganhei todas, hoho!), dançamos numa festinha louca que aconteceu no sábado e eu até saí voando! Maravilha!

Agora, in other news, meu namoro acabou por motivos pessoais que não direi aqui mas que alguns poucos já sabem. Mas eu estou bem, afinal, esse foi o meu terceiro namoro… Está cada vez mais complicado quebrar a barra dos 4 meses… Mas enfim, nunca fui muito encanado com isso e não é agora que vou começar a me preocupar, não é mesmo? 😉

Mudando de assunto, por algum estranho motivo eu não consigo mais parar de escutar Stranger da Hilary Duff. Colocaram alguma coisa nessa música, não é possível! Eu, particularmente, odiei a letra. Puta texto sem sentido e com umas rimas bobas… Num dava pra colocar uma letra melhorzinha, não? Na verdade, eu gostei foi do ritmo, do fundo. Sim, eu sou estranho. ;P

Se você me pegar cantarolando uma música não vai escutar a melodia principal, mas vai escutar o fundo, o baixo, etc. E isso já foi comprovado pela minha irmã. Eu costumo prestar mais atenção que o normal para a melodia de fundo das músicas… E sim, o fundo dessa música é legal, mesmo a letra sendo uma grande porcaria… Qualquer dia desses eu vou postar aqui a playlist do meu MP4 pra vocês entenderem o que eu digo… E darem uma boa risada também, de tanta música estranha que eu escuto… 😀 Mas não mais estranhas do que as do meu supervisor aqui 😛 Um tal de EBM, umas coisas loucas! 😄

Bom, estou escrevendo isso diretamente do trabalho, mas não tenho conexão com a internet aqui, então não vou conseguir postar isso já… Só quando eu chegar em casa… Estou escrevendo do meu Notepad++ Portable ( 😉 ) direto para o MP4 para depois postar. Agora são 16h20 e eu só saio às 18h… Mas hoje sairei mais tarde pois fui convidado a jogar Pebolim com o pessoal depois do expediente no salão de jogos. (Sim, temos um salão de jogos na empresa! 😀 )

O que eu faço no trabalho? Atualmente eu estou fazendo um back-up de vários CDs cheios de imagens de fotogrametria. Me deram um HD de 320Gb pra eu lotar com essas imagens! E o pior é que enche rápido! Cada imagem dessas tem aproximadamente 200Mb! Algumas chegam a incríveis 500Mb! E os computadores daqui conseguem abrir até umas 12 imagens dessas simultaneamente e alguns até interpolam elas para criar imagens tridimensionais! Sim, em 3D! Você coloca aqueles óculos especiais (não os vagabundos) para enxergar imagens em 3D, e assim trabalha em cima delas mais facilmente! É uma coisa linda de se ver! Cidades inteiras vistas de cima em 3D! Imagina um Google Earth com duas imagens interpoladas em três dimensões! Maravilha!!! (Se alguém vier falar que ele já é em 3D vai levar um soco ¬¬”)

Meu Deus, me empolguei e o post ficou enorme. E nem foi publicado ainda!!! Chega por hoje. Mais tarde eu escrevo um pouco mais…

Abraços à todos, e obrigado por lerem! 🙂
Fiquem aí com a música… sim, vocês adivinharam…

@ Hilary Duff – Stranger