Saidera com Mary

24 04 2008

Olá meus queridos! Como vão vocês?

Bem, estou aqui novamente na hora do meu almoço para lhes contar em dez minutos (ou menos, depende de quem está lendo isso aqui) como foi minha primeira saída com a Mary. Para quem não se lembra, Maryffennícia Feliciana Arco e Flexa é a garota que trabalha no mesmo setor que eu e que lembra muito a Marília Gabriela. Enfim, depois de muitas tentativas, finalmente vamos sair juntos. Depois de tanta insistência, tanto trabalho, tanto xaveco, finalmente conseguimos marcar um encontro a dois: eu e a linda garota. É, eu resolvi parar de dar um gelo nela e aceitar a saideira.

Marcamos de ir ao cinema e depois ao bar. Parecia um encontro a dois perfeito: eu, ela e a sobrinha dela de 8 anos. Saímos em plena horinha de folga.

Estávamos no shopping quando passamos por uma vitrine de uma loja de brinquedos. A pirralha gritou: “Tia! Compra pra mim! Eu quero aquela Barbie!”. Depois de muito combate, finalmente conseguimos passar a loja, fingindo não ouvir o “Buá” daquela remelentinha.

No cinema parecia tudo normal. Os filmes que eu gostaria de assistir eram “O Caçador de Sonhos”, “Assassinato do Presidente” e “Esparta”. Ela queria ver “A Casa do Campo”, “Como se fosse a primeira vez” ou “Anjos”. Entramos num acordo em assistir ao “A casa do Lago”. Mas por causa da pirralha que esperneava gritando “Chapeuzinho! Chapeuzinho!!!” tivemos que mudar nossa sessão para o “Deu a Louca na Chapeuzinho”. Saco.

No meio do filme, na parte em que a Vovó está pulando de pára-quedas, tentei dar a iniciativa. Peguei na mão da Mary. Ela continuou parada, olhando o filme. Percebi uma certa tensão, além do suor que molhava as mãos dela. Muito bem, depois disso eu abracei. Ela, movimentando-se como um robô, apoiou a cabeça em meu ombro. O momento estava tenso, mas vi que estava até fácil pra dar o bote. Quando finalmente ia acontecer o beijo: “TIAAAA!! TIAAAAA!!! EU QUERO FAZER COCÔ!!”. Maldita pirralha! Eu odeio pirralhas! Prefiro ter um filho viado do que ter um filho pirralha!

Depois do cinema, fomos ao bar. Mas antes, claro, deixamos a remelenta na casa da irmã da Mary. Lugar gostoso, agradável. Um barzinho muito bom que fica no Capão Redondo. O nome do lugar é “Batata’s Buteko”, ao lado do “Sunshine Night Club”. A banda ao vivo tocava 50th Cent em ritmo de pagode. O vocalista ainda tinha um belo sotaque baiano que deixava a canção mais apreciável:

(…)
Bói, ife iu ríli lóve mi nau
Quêm uí ualque daum de ésli?
Cãz iu nou ai eme gona rolde iu daum.
(…)

Depois de vinte garrafas de cerveja com vodka, a Marília Gabriela estava parecendo com a Juliana Paes. Desta vez foi bem mais fácil. Beijei, mas beijei de jeito. Por falar nisso, é incrível como o homem se distanciou de seu lado primata de um tempo pra cá, né? Acho que o álcool existe para levar o homem de volta à idade da pedra.

Enfim, fomos para a casa dela. Entramos. Perguntei se estávamos sozinhos e ela disse que sim. Em uma das conversas que tivemos, descobri que o pai dela é militar do exército e que a mãe dela morreu com um tiro disparado por ele. Não, não foi de propósito não. Na verdade ele se irritou com um pernilongo e tentou matá-lo. Mas errou o alvo. Estava sem seus óculos anti-miopia (8 graus em cada olho). Achou que a esposa fosse o pernilongo. Triste fim.

É como dizia Murphy: “Se uma coisa tem 0,01% de chances de dar errado, fique tranquilo. Vai dar tudo errado mesmo”. Estávamos no bem bom, amassados em cima da cama. Eu estava tirando o sutiã dela (ela sentada de costas pra mim e eu ajoelhado atrás dela) quando um bruta-montes entrou furiosamente no quarto, bufando feito um touro nervoso: “Mas que diabos significa isto?!”. Achei que fosse meu fim. Rapidamente Mary disse: “Oi papai! Chegou cedo hoje! Ah, deixe-me apresentar meu novo estilista!” e depois sussurrando: “Ele é gay!”. Aqueles olhos nervosos miraram pra mim como duas facas bem afiadas. Meio sem reação, disse com a voz fina e macia: “Hihihi, oi!”. Voltei a olhar para as costas de Mary e disse novamente com a voz macia: “Menina! Suas costas são bem largas! Olha que ischcândalo!!!”.

Tudo parecia estar dando certo. Mas, como eu comentei anteriormente sobre o maldito Murphy, por mais que pareça estar dando certo, no final vai dar errado. O cara de repente gritou: “SAIA DAQUI SUA BICHONA LOUCA!! NÃO SUPORTO HOMEM FROUXO PERTO DE MIM! VAZA ANTES QUE EU DEITE SEU CABELO, SEU VIADINHO DA PORRA! DEMOROU! QUER QUE EU TE DÊ UM CACETE AQUI MESMO, QUER?”.

Hoje eu já recuperei o trauma. Ainda não me encontrei com a Mary. Algo me dizia desde o início que não ia dar certo, mas eu acreditei? Nãaaaao! Tive que pagar para ver. Tudo bem, tudo nesta vida passa.

Muito obrigado a todos por ouvir meu desespero. Deixe-me sair daqui agora, preciso trabalhar. Ganhei um novo apelido que eu particularmente acho o máximo. O chefe achou muito difícil ter que pronunciar meu nome todas as vezes que ele precisasse de alguma coisa (3 vezes por segundo) e resolveu me chamar de Jarbas. Isso quando não toca um sininho irritante.

Um beijo a todos e até a próxima!

============================================

As Inestórias de Epiriquidiberto – Todas as quartas-feiras de noite, aqui na Vida de um Universitário e no Castelo de Marfim.


Ações

Information

3 responses

24 04 2008
Nath

Huahuahuahuahuahuahuahuahuahuahua

Criança é fogo mesmo!
Mas, você só teve uma pequena amostra do “poder” delas e em pequenas quantidades já que a menina já esta grandinha.
Quero ver mesmo você experimentar dar aulas para crianças de 3, 4 anos.
Não é nada semelhante com as propagandas e ilustrações de livros infantis onde você vê aquelas crianças, lindas, loiras, rosadas e comportadas sentadas em cadeirinhas, desenhando alegremente.
Nem tente!
É o bicho!
Só pessoas altamente treinadas devem exercer essa função.
(tudo bem que eu não recebi nenhum treinamento mas…)

Quanto a sua interpretação…pensei já ter visto de tudo ao presenciar uma amiga dar um fora em um rapaz dizendo que era freira. Mas, essa…
kkkkkkkkkkkkkkkkk
(pimenta nos olhos dos outros é refresco né?)

Adorei o post!

Ah, de um alô ao Murphy por mim.
Sabe como é que é? Ele é um velho conhecido meu.
Só mais uma coisinha, mesmo que ele te pertube muito, não lige viu?
Continue correndo atrás do que você quer.

xD

3 05 2008
Recomeço « O alterego

[…] Bom, lendo um blog do meu amigo e esposo, Henrique, achei essa pérola aqui: https://rickmiraldo.wordpress.com/2008/04/24/saidera-com-mary/ […]

3 05 2008
rhorrorshow

AHSAHSAHUEUSAE
marido, ficou muito bom esse post!!
até recomendei
huauhshuae
beiijão

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: