Nostalgia

22 03 2008

É pessoas… Nostalgia, definido pela Wikipédia, descreve uma sensação de saudades de um tempo vivido. Pra mim, é aquilo que nos faz perceber que crescemos. E hoje, eu percebi que a infância passou e eu cresci.

Claro, eu sei que a minha infância já passou faz muito tempo, mas eu nunca me dei tanta conta disso como hoje. Um jogo, indicado pela Kaká, que me fez perceber tudo isso. Regras são simples: são 50 nomes de desenhos que você tem que adivinhar. “PLAY” toca a abertura de tal desenho. Você digita o nome do desenho e confere para ver se o resultado está certo apertando “OK”. Até aí tudo bem, se não fosse pelo fato de serem desenhos muito, mas eu digo MUITO antigos e que realmente marcaram época (ou pelo menos, marcaram a minha). E foi o site Nostalgiando que resolveu nos trazer tudo isso de volta. O link para o jogo segue abaixo:

http://www.nostalgiando.com/jogo.html

Não, eu não consegui completar tudo. Completei 21 quadradinhos. Teria completado 22, se eu conseguisse lembrar do maldito nome do desenho do quadradinho número 12 que eu sei qual é, só não me lembro do nome. Quem souber, por favor, diga o nome nos comentários!

E foi ouvindo essas aberturas que me bateu aquela saudade da infância, onde eu sentava no sofá da sala, sem nenhuma preocupação na cabeça, pra assistir SBT, no horário que passava CRUJ. Nossa, eu lembro disso… Se não me engano era abreviação para “Comite Revolucionário Ultra-Jovem” ou algo do gênero. Sim, eu me considerava um “ultra-jovem” e assistir àquele programa era simplesmente o máximo.

Não, nem todos os desenhos que passavam durante esse programa estão na lista, nem vice-versa. Senti falta de muitos aí ainda, mas só esses aí me fizeram perceber uma coisa… tô velho!

Os que mais me marcaram? Não vou falar os nomes aqui para não estragar quem for jogar, mas digo os números dos quadradinhos: 2, 14, 15, 17, 18 (esse eu arrepiei), 29 (esse eu quase tive um treco!), e 33. Claro, outros também são clássicos, mas esses aí eram os que eu mais assistia.

Tá bom, não vou agüentar, preciso comentar sobre dois desses aí de cima… Então, spoiler chegando, se você não gosta pare de ler!

Lendo ainda? Maravilha!!! Pois bem, sabe aquele desenho que você simplesmente não perdia um mísero episódio? Pois é, no meu caso era Tintin.

Nossa, quando eu escutei isso no quadradinho do jogo, eu arrepiei. De verdade. Que saudades! Eu não perdia um episódio sequer desse desenho. E tenho TODOS gravados em VHS. Em ordem cronológica! Uma relíquia, uma coisa perfeita. Meu pai tem todos os gibis de Tintin, que serviu de grande influência pra eu acompanhar o desenho. Ainda me lembro do Milu, branco como a neve, dos detetives Dupond e Dupont e suas zilhões de trapalhadas, do Professor Girassol e seu pêndulo e claro, do inesquecível Capitão Haddock e suas garrafas de Rum!

Desculpem o palavreado mas não dá pra deixar passar… Puta que pariu, isso sim é um desenho! Caralho…

E o melhor de tudo: está para sair um filme do Tintin e GOD, eu PRECISO estar na fila da primeira sessão… Links da fonte aqui e aqui. Steven Spielberg vai dirigir? Peter Jackson também? Shit, eu pago 30 reais só pra ver esse filme!

Puta merda, assisti a abertura de novo agora e me deu um arrepio maior ainda… Me desculpem o palavreado, mas não existem outras palavras pra descrever isso. Não dá pra escrever “Puxa vida!” no lugar de “Porra!” nesse caso, não mesmo.

Certo, o outro desenho que me causou nostalgia master ao ouvir a abertura no quadradinho do jogo foi O Fantástico Mundo de Bob. Eu até havia esquecido que esse desenho existia, mas quando eu escutei a abertura, me veio aquela sensação de que 10 anos da minha vida foram absorvidos em 5 minutos. E eu me lembrei de todos os dias que eu parei pra assistir ele. (Viva minha memória fotográfica!)

Nossa, e como eu me achava parecido com esse muleque, meu Deus… E essa música da abertura então! Não deu nem meio segundo pra eu me lembrar do desenho inteiro! Não lembrei do nome na hora, tive que colar um pouco, mas eu me lembrava perfeitamente do desenho! Tio Ted, GRANDE Tio Ted! Na mesma hora fui pro YouTube assistir um episódio. Eu PRECISAVA.

Ah, eu disse que iria falar só de dois? Pois eu menti, vou falar de mais um!

Pois é, Babar, outra parte de minha infância. Não me lembrei da música no começo, mas depois de uma colinha básica, nossa senhora… Que vontade de chorar, querer pegar a infância de volta, assistir todos esses desenhos de novo e de novo. Quem gostava bastante desse era minha mãe. Assistia mais que eu, aliás! Se ela ver essa abertura de novo, ela vai ter um treco de tanta saudade!

Pois bem, falei demais… Vão jogar o jogo que vocês também vão sentir a mesma coisa, não só com esses desenhos, mas muitos outros também. E com certeza absoluta vão soltar vários palavrões enquanto escutam as aberturas, uma a uma. Um belo trabalho do Nostalgiando, trazer isso de volta. Pra ninguém caçar o link do jogo no começo do post, aí vai ele de novo:

http://www.nostalgiando.com/jogo.html

Divirtam-se! 😉





Muito prazer, eu sou o Cente

20 03 2008

Olá, queridos leitores e navegantes da Internet.

Meu nome é Epiriquidiberto Aparecido, mas todos me chamam de Cente. Alguns excêntricos ainda me chamam de Cente Cabeção, mas isso é outra história.
Hoje eu estava andando na rua e percebendo como o mundo é cruel. Com certeza não sou a primeira pessoa que fico pensando nisso, mas vocês sabem que nosso instinto é selvagem. Matamos as formigas pelo simples fato de não querermos dividir nossa própria comida com elas.
Foi quando eu passei por uma humilde casebre de madeira no centro de São Paulo com uma única porta. A placa na frente estava com letras grandes dizendo “Nova Igreja do Senhor” e letras pequenas embaixo dizendo “Aqui quem manda é o senhor!”. Tinha um coral de uns cem garotos ou mais cantando em uma melodia pouco agitada. Em estilo Heavy Metal eles cantavam:

Hoje é um novo dia de um novo tempo que começou
Esses novos dias as alegrias serão de todos, é só querer
Todos os nossos sonhos, serão verdade! O futuro já começou!
Hoje a festa é sua, hoje a festa é nossa, é de quem quiser, quem vier!
A festa é sua, hoje a festa é nossa!

O solo de guitarra chamou minha atenção. Sempre gostei de instrumentos elétricos, principalmente aqueles que vibram com a gente, proporcionando grandiosos momentos de prazer; como a guitarra. A bateria moía o som até a hora em que uma explosão da guitarra sendo arregaçada no chão parou o coral. De dentro, o breve silêncio foi interrompido pelo grito de algumas pessoas de dentro da igreja: “Coriiiithiaaaaans! Corinthians minha viiiidaaaa! Corinthians minha históoooriaaa! Corinthians meu amoooooor!”. Assustei quando os pequenos rapazes do coral daquela igreja abriram a porta subitamente gritando “Vamo invadir o Morumbi, porra!” e lotando o ônibus “Campo Limpo” que havia parado na frente da Praça da República. Aliás, por falar nisso, aquele lugar é lindo! Lindo como um lar aconchegante! Os mendigos espalhados pedindo esmola dão um toque final para a beleza, exceto quando eles recebem comida das pessoas que tentam ajudar. Sim, digo isso porque eles de fato não comem o presente de caridade. Eles arrancam alguns pedaços e atiram contra as pessoas como se imaginassem que tivessem uma pedra nas mãos. Mas pelo menos as bijouterias que os hippies fazem são fantásticas, isso eu garanto. E se você tiver uma garrafa de Coca-Cola (mesmo que pela metade), consegue umas informações importantes dessas pessoas que tudo vêem e tudo sabem. Ou também pode preferir uma bijouteria, você quem sabe.
Vou tentar saber mais detalhes daquela igreja. Quem sabe pode ser um bom negócio, não é mesmo? Ouvi dizer que eles seguem o evangelho do Novíssimo Testamento. Por sorte, um daqueles rapazes do coral deixou cair uma folha que eu presumo se tratar de um documento no qual ele tiraria xerox para divulgar. Dizia o seguinte:

(…)
Alguns dizem que o nome dele é Jeová
Outros dizem que o nome dele é Alah
Pois eu vos digo, ó povo que tem sede pela verdade!
Nosso Deus veio para esta terra em forma de humano
Ele foi destinado à pequena ilha que chamam de Japão
E seu verdadeiro nome é: Cyril Takayama.


São Bernardo do Campo, (10-4):3:2:1=1

Fiquei interessado em saber mais sobre este Cyril. Seria ele a salvação para nosso mundo? Fiquei sabendo que ele tira hamburgueres da parede. Resta saber se é verdade esses rumores. Vou pesquisar mais. Talvez eu seja mais um adepto da “Nova Igreja do Senhor”.

Vou ficando por aqui. Um grande beijo para todos que conseguiram ler até o último ponto final deste primeiro capítulo!

Bom dia, boa tarde e boa noite!
=====================================================

OBSERVAÇÕES:

Quem é Cyril Takayama?

Cyril Takayama é um famoso mágico das ruas do Japão, cujas mágicas que ele realiza são realmente muito impressionantes. Sem efeitos de câmera, ele consegue fazer mágicas como flutuação, desmaterialização de objetos, criação de água dentro de garrafas transparentes e o mais impressionante (e citado no livro): tirar hamburgueres de um menu de uma lanchonete.
Cyril já lançou 5 DVDs com seus truques. Em algumas partes do vídeo ele ensina a fazer alguns deles. Também tem algumas cenas engraçadas, como a parte onde ele se transforma em um velhinho perfeito utilizando-se apenas de maquiagem. Bem humorado, ele sempre traz admiração das pessoas que assistem aos shows dele. Ele tem também a capade de manipular os estados da água, como o sóido e o gasoso, fazendo truques onde ele transforma a água em sua mão em gelo ou a água em um copo em vapor.

Por seus feitos quase inexplicáveis, o chamamos de “Deus” no livro, caindo certinho com a crítica de todo dia criarem uma nova igreja com um Messias diferente. Algumas mágicas dele estão disponíveis no site YouTube, como o do hamburguer cujo vídeo segue abaixo:

 

 

Alguns que assistem às mágicas de Cyril Takayama, o comparam com David Blaine, um mágico das ruas dos Estados Unidos. Cada mágico com seu truque, mas se for comparar, Cyril dá uma aula para nosso amigo David.

Quem é Epiriquidiberto Aparecido?

Criado em 16 de novembro de 2006, o personagem foi idéia de Ariel Salgado Nascimento e Henrique Germano Miraldo. A idéia era satirizar temas polêmicos e massificados, além de fazer com que este personagem passasse por momentos onde retrataria algum sentimento, desejo ou trauma carregado pelos autores e pessoas que dão sua opinião. Obviamente que não é só isso: o personagem passa por situações impossíveis, o que deixa a (in)estória mais engraçada, peculiar e diferente.

Todas as quarta-feiras de noite, nos blogs A vida de um universitário e Castelo de Marfim.





Dormir para Sonhar

20 03 2008

E assim, depois de muito esperar, num dia como outro qualquer, decidi triunfar…
Decidi não esperar as oportunidades e sim, eu mesmo buscá-las.
Decidi ver cada problema como uma oportunidade de encontrar uma solução.
Decidi ver cada deserto como uma possibilidade de encontrar um oásis.
Decidi ver cada noite como um mistério a resolver.
Decidi ver cada dia como uma nova oportunidade de ser feliz.
Naquele dia descobri que meu único rival não era mais que minhas próprias limitações e que enfrentá-las era a única e melhor forma de as superar.
Naquele dia, descobri que eu não era o melhor e que talvez eu nunca tivesse sido.
Deixei de me importar com quem ganha ou perde. Agora me importa simplesmente saber melhor o que fazer.
Aprendi que o difícil não é chegar lá em cima, e sim deixar de subir.
Aprendi que o melhor triunfo é poder chamar alguém de “amigo”.
Descobri que o amor é mais que um simples estado de enamoramento, “o amor é uma filosofia de vida”.
Naquele dia, deixei de ser um reflexo dos meus escassos triunfos passados e passei a ser uma tênue luz no presente.
Aprendi que de nada serve ser luz se não iluminar o caminho dos demais.
Naquele dia, decidi trocar tantas coisas…
Naquele dia, aprendi que os sonhos existem para tornar-se realidade.
E desde aquele dia já não durmo para descansar… simplesmente durmo para sonhar.

 

~ Walt Disney





A Caverna de um Nerd

14 03 2008

Uma continuação do texto O Guia do Nerd, traduzido e baseado no A Nerd In A Cave do blog Rands in Repose.

A Caverna é uma casa intelectual. A cozinha é onde se come, a cama é onde se dorme, e a Caverna é onde se pensa. E todos possuem uma Caverna, sem exceções: é só segui-los pela casa. Pode ser desde um depósito cheio de tralhas até uma cozinha cheia de utensílios, mas existe uma Caverna em algum lugar específico da casa.

Mas a Caverna do nerd tem suas marcas únicas:

  • Um computador numa mesa com fácil conexão com a Internet. O fato de ter um computador sem conexão com a Internet é o mesmo do que ter um quarto realmente grande mas sem cama para poder dormir. Quando o nerd senta no computador e se vê sem acesso à Internet ele pensa: “Bem, eu poderia jogar Paciência, não?”. Mas o fato é que a Internet é a fonte de vida na Caverna, pois a conecta com o resto do mundo.
  • Recursos que literalmente cancelam o mundo, como uma porta ou fones de ouvido que reduzem ruídos. Essas coisas são um tanto quanto irritante para outras pessoas, mas vou falar disso mais pra frente.
  • Uma coleção aleatória de bugigangas que confortam o nerd. Isso varia muito de nerd para nerd, mas sempre existe pelo menos um objeto ou um talismã do qual o nerd não consegue se ver sem.
  • Algo para beber. O nerd não consegue se fixar na Caverna sem algo para beber. Pode ser desde um simples copo de água, passando por refrigerante ou até mesmo um energético. Essa bebida é uma pausa mental que serve para colocar as coisas na cabeça de um nerd no lugar certo, para que ele continue fazendo seu trabalho: “O que foi que eu acabei de fazer mesmo? Pra que serve isso? O que eu queria dizer?” [bebida] “Certo, de volta ao trabalho.”
  • Um layout bem definido. O nerd tem um grande conhecimento sobre o layout de sua Caverna. Todo mês, quando a faxineira resolve limpar a casa ele precisa parar por 30 minutos e então reajustar a posição das canetas, dos papéis, do monitor e de tudo mais. Claro, é ótimo que alguém esteja limpando tudo isso, mas o nerd prefere que NÃO TOQUEM NAS COISAS DELE.
  • Uma bela vista. Como a bebida, a vista é uma pausa mental, uma rota de escape para um lugar qualquer que dá uma breve alteração de perspectiva. É por isso que qualquer um em um escritório quer uma janela. Não é status, é um escape.

É um nome sinistro: Caverna. Se refere à um lugar escuro e estranho onde a qualquer momento você pode ser engolido por um monstro qualquer. Mas na verdade o propósito da Caverna não é isolar, e sim germinar. Vou explicar.

A Zona

Cada manhã de um final de semana, o processo do nerd é basicamente esse: Ele acorda, vai até o escritório, senta no computador, e vê o que está acontecendo no planeta. Uma vez que ele descobre que o céu não está caindo, ele vai até a cozinha, pega um pouco de pó de café e deixa a água fervendo. Enquanto a água está fervendo, ele volta para o computador e faz o que quer que seja que venha na mente dele. Pode ser algo sobre o Aquecimento Global ou até algumas opções de compra de celular. Olha só, a LG não presta. Por quê será… A água está fervendo! De volta para a cozinha, onde ele coloca o café em seu copo preferido. Ele precisa ficar parado por alguns minutos, o que significa, de volta para o computador! Certo, por quê os celulares da LG não prestam? Poucas funções? Design ruim? Um pouco dos dois, na verdade. O café está pronto, entao mais uma viagem para a cozinha para pegar o café e então, novamente, de volta para a Caverna.

Pra quem vê de fora, parece uma trabalheira, mas é algo instintivo. É uma rotina que tem apenas um propósito – entrar na Zona. O que é isso? É um lugar profundamente criativo onde a inspiração é construída. Tudo o que você considera como bonito, útil, ou divertido, vem de alguém que estava remexendo na Zona.

Uma vez que o nerd passou pela sua rotina matinal e entrou na Zona, ele está FORA DOS LIMITES. É sério. Invadir A Caverna e perturbar A Zona é o mesmo que ficar de pé na pré-estréia de Star Wars: O Império Contra-Ataca, pulando pela sala e gritando “DARTH VADER É O PAI DE LUKE SKYWALKER! DARTH VADER É O PAI DE LUKE SKYWALKER!”. Você não está apenas acabando com o humor do lugar, mas está acabando com um grande trabalho de criatividade. Pense sobre isso da próxima vez que você entrar numa Caverna com aquela pergunta inútil sobre quais sapatos você deveria usar.

Não, ele não vai atender o telefone. Na verdade, se o telefone puder ser ouvido significa que a Caverna está bem mal-planejada. E não, ele não vai escutar se você entrar e perguntar se ele quer sair hoje à noite. Nem da segunda vez. Isso não significa que ele esteja te ignorando, pois fazer isso significaria ter que usar preciosos ciclos do cérebro que ele precisa usar para A Zona… Ele REALMENTE não consegue te ouvir. Isso é o quão profundo ele está na Zona.

Não, ele não tem idéia de que já fazem quatro horas desde que ele fechou a porta e começou a digitar ferozmente. Realmente, a única coisa que ele sabe é: 1) quando o café acabou e 2) quando ele precisa ir ao banheiro.

Sim. Quando você consegue penetrar na Zona, existe uma chance de que ele seja um bundão idiota. Na verdade, ele pode até surtar.

O Surto

E é aqui que ele se arrepende.

Ninguém merece estar na posição de recebimento do Surto. Tudo o que você estava fazendo era ir vê-lo pra saber quando ele estaria pronto pois vocês combinaram de sair hoje. Mas, ele está na Zona e estava fazendo algo importante e QUEM É VOCÊ E O QUE VOCÊ QUER? O Surto é um brilho, uma voz elevada… algo feito para indicar que você ESTÁ IRRITANDO ELE com sua presença.

Não é justo, claro, mas pense da seguinte maneira: Se você andar até ele e dar um tapa no rosto dele, ele não vai pensar “Por quê você fez isso?”. Ele não vai perder tempo analisando a situação. O instinto será puro, primitivo e imediato: Ele vai te dar um tapa de volta.

A razão para essa reação irracional é um cérebro antiquado. Quatro milhões de anos atrás era uma vantagem no processo evolutivo responder à tapas o mais rapido possível pois eles provavelmente significavam que você iria ser comido vivo. Então, ao invés da reação do tapa passar por “Qual é a resposta mais racional?” ela vai direto para “Reaja imediatamente senão”. De alguma forma, O Surto tem a mesma reação. A invasão da Zona vai levar à esse ato primitivo que requer que o cérebro faça essas escolhas imediatas e irracionais.

Não é certo, e não é socialmente aceitável, e o nerd se arrepende das suas ações 30 segundos depois. Mas em 20 anos de nerdeza, a preocupação não foi acabar com O Surto, mas sim descobrir como controlá-lo.

O Lugar

Tente o quanto quiser, ele não consegue sempre entrar na Zona. Ele vai passar por todas as atividades padrões pré-Zona de seleção de música e bebida. Ele vai ajustar meticulosamente os cinco objetos essenciais em sua mesa e então irá começar a… jogar um MMORPG.

Esta não é A Zona… este é O Lugar. É bem parecido com A Zona em aparência, mas, mentalmente, é um mundo completamente diferente. Se A Zona é o fato de jogar a final do campeonato mundial de futebol, então O Lugar são as seguidas horas gastas em treino no dia anterior. Sim, ele está trabalhando, mas não está realmente construindo.

A regra é a seguinte: a sua pessoa pode interromper O Lugar com impunidade. Essa é a regra. Ele pode Surtar, mas se você o deixar quieto no Lugar assim como você o deixa trabalhar na Zona, você nunca o verá. Se você entrar no escritório para perguntar alguma coisa e ver polígonos coloridos girando e brilhando pela tela, você tem autorização para invadir. Enganos vão acontecer e você irá invadir A Zona pensando que é O Lugar, mas depois que ele se acalmar, ele terá que explicar a porque o que se parece com O Lugar é, na verdade, A Zona.

Outros Lugares

Nerds são recompensados por estrutura. Eles conseguem uma grande quantidade de dinheiro por gerar coisas tecnológicas úteis que funcionam. Claro, são artistas, mas é uma arte de padrões, repetições, estruturas e eficiência (e sem dúvida, sexy). Isso não deixa dúvidas que os lugares que eles constroem em suas casas ou em suas mentes são igualmente bem-definidos.

O risco nesses lugares é o mesmo risco em todos os outros lugares confortáveis. No conforto, eles se esquecem de que as coisas mais interessantes estão acontecendo lá fora.

 

(Com a ajuda de Tenko)





Aquecimento Global

12 03 2008

Hoje na faculdade, eu tive que apresentar um trabalho sobre Aquecimento Global numa disciplina chamada Metodologia do Trabalho Científico. Até aí tudo bem, se eu não fosse praticamente o único que falou alguma coisa do grupo de 38 (sim, trinta e oito) pessoas que estava lá para defender o ponto de vista do sujeito de nome Luiz Pinguelli Rosa. Era o seguinte:

Na última aula o professor resolveu passar um tal vídeo de um debate entre esse cara mal-humorado de sobrenome Azevedo (não me lembro do nome do cidadão) e o Luiz Pinguelli Rosa. Depois do vídeo de 20 minutos mal ripado do YouTube, eis que o professor resolve dividir a sala de 76 alunos em dois grupos (por isso o grupo enorme de 38), e então subdividi-los em outros 3 grupos: dois de 13 e um de 12. O meu foi o de 12. Certo, então o que faríamos? Ah, claro, defenderíamos o Luiz Pinguelli num debate que aconteceria entre os alunos na próxima aula. O quê?! NA PRÓXIMA AULA? Ah, fazer o que… 😛

O grupo se reuniu duas vezes para preparar todo o trabalho e decidir quem iria ser o “representante” para falar lá na frente. E adivinham quem foi escolhido por quase que unanimidade? Eu! 😄 Tudo bem, estou querendo treinar a maneira como me apresento em público mesmo (não perguntem porque, nem eu sei responder)…

Leituras e mais leituras durante o final de semana inteirinho, e, aproveitando a nova banda larga, vendo longos documentários do Discovery Channel pelo YouTube sobre o Aquecimento Global. Interessados? São 5 partes, cliquem para acessar: Parte 1Parte 2Parte 3Parte 4Parte 5. Muito didático, eu recomendo! Depois eu também aproveitei para ver outros vídeos… (Nada pornográfico, bando de tarados 😉 )

Beleza, acho que estou pronto! O dia da aula chegou e lá estava eu, no fundão de uma sala anfi-teatro, fazendo uma leitura dinâmica em 20 papéis diferentes simultaneamente enquanto a minha vez não chegava. Até que o professor disse: “Agora, o pessoal defendendo o Luiz Pinguelli Rosa, levantem a mão!” e eu resolvi olhar pra frente. E…

Onde estão as mãos?

Pff, quem disse que o povo levantou a mão? Acho que umas duas pessoas no máximo, daquelas 38 do grupo, levantaram a mão. “Ah não, eu vou ganhar a minha nota, sim senhor” pensei, e então, eu levantei a minha mão o mais alto que pude e consegui a atenção do professor. Permissão para falar!

E lá estava eu, tentando lembrar dos pontos principais do textos e não gaguejar ao mesmo tempo enquanto 75 alunos e um professor olhavam diretamente pra mim. God, não pensei que estaria tão quieto. “Alguém faça um barulho para eu poder respirar peloamordedeus”. Infelizmente, ninguém fez barulho algum. Era só eu e eu mesmo na sala, falando.

Tá no inferno, abraça o capeta, não é mesmo? Então eu resolvi falar tudo de uma vez sem dó nem piedade, usando todo o potencial o meu diafragma para que minha voz conseguisse ecoar por toda aquela sala gigantesca. Por um momento, minha voz me fez parecer mais velho e maduro do que o normal: sinal de que o truque do diafragma estava funcionando e o motivo de estar tudo tão quieto. “Estão prestando atenção em mim! Estão prestando atenção em mim!” pensava, enquanto relia mentalmente tudo de novo.

Um branco, merda! Rápido, preciso encher linguiça. Droga, não consigo me lembrar de mais nada!!! Argh, cartada final: “E essa foi basicamente a conclusão do nosso estudo” eu disse, numa tentativa de finalizar o discurso. Droga, má hora pra isso acontecer. Felizmente, consegui me lembrar de mais coisas quando o professor perguntou se alguém mais queria completar o meu dicurso. Ao perceber que ninguém iria dizer alguma coisa eu resolvi erguer a mão novamente dizendo: “Professor, se ninguém mais for completar eu mesmo prefiro colocar algumas outras idéias em discussão.” Grande jogada! Lá estava eu falando mais e mais e garantindo a minha parcela de nota no final da aula! 😀

Acabei, finalmente! Nem eu mais me aguentava de tanto falar, então eu imagino o resto do povo dentro da sala praticamente pedindo pra acontecer algum tipo de explosão estranha do lado de fora só pra arranjar uma desculpa pra poder sair. 😀

Final de aula, acabou o trabalho! Posso já esquecer esse assunto! Ou não… De tanto ler e assistir coisas à respeito desse assunto, eu acabei até querendo saber mais e mais. Eu não concordava totalmente com o tal Luiz Pinguelli Rosa que eu era obrigado a defender. Muitas coisas que ele diz não estão certas (na minha opinião) e que eu prefiro o ponto de vista do outro sujeito. Na verdade, eu acho que os dois estão tão certos quanto errados nesse caso. Minha opinião é uma mistura dos dois, de fato. Mas o que chamou mesmo a minha atenção durante as pesquisas é que o Aquecimento Global realmente está acontecendoObservem as imagens abaixo, retiradas da reportagem da VEJA:

AlaskaAntes

Vista panorâmica de região montanhosa do Alaska, em 1941.

AlaskaDepois

Em 2004, o mesmo ponto do Alaska apresenta uma paisagem muito diferente: o piso de gelo transformou-se em lago.

ParqueAntes

O documentário “Uma verdade inconveniente”, que contou com participação do ex-presidenciável americano Al Gore, traz essa imagem do Parque Glacial Nacional dos Estados Unidos, em 1932.

ParqueDepois

Após 56 anos, já é possível perceber a diminuição na quantidade de gelo no mesmo ponto do Parque Glacial Nacional.

KilimanjaroAntes

O Monte Kilimanjaro, na África, em 1970.

KilimanjaroDepois

O mesmo ponto do Kilimanjaro 30 anos depois.

CordilheiraAntes

A parte peruana da Cordilheira dos Andes 20 anos atrás.

CordilheiraDepois

O mesmo ponto dos Andes peruano atualmente, com menor cobertura de gelo.

Eu acho que chegou a hora de fazermos algo sobre esse problema, concordam? 😉





Desatualizado?

9 03 2008

Pois é… Percebi que estou ficando desatualizado quanto às linguagens do “internetês”. Hoje, conversando com a minha irmã, me deparei com várias formas novas de se escrever alguma coisa e que eu nunca tinha visto antes! Lembram-se quando o internetês surgiu com suas abreviações? Era difícil fazer o povo entender que “vc” era “você” e que “tb” significava “também”. Hoje, se não for todo mundo, é a grande maioria que já sabe ler e escrever em “internetês”. Mas o internetês está evoluindo e eu não consegui acompanhar essa evolução.

Algum de vocês sabem o que significa a expressão “-q”? Eu não tenho idéia. Minha irmã tentou me explicar, mas não entendi muito bem, então deixa pra lá! 😄

Isso é um sinal de que a Internet está, mais uma vez, evoluindo, como ela sempre fez. E é melhor corrermos atrás se não quisermos ficar atrasados!

Claro, eu também pensei na hipótese de ser alguma linguagem aborígena que em breve irá sumir… 😉





Banda Larga!

7 03 2008

Finalmente, depois de 3 semanas no aguardo, o modem do Speedy chegou em casa!!! Agora eu também faço parte do maravilhoso mundo da banda larga, onde você milagrosamente pode acessar a internet numa velocidade bem superior aos convencioais modems 56k e ainda manter a linha telefônica desocupada! Um feito e tanto, não? 😉

Mas, infelizmente, meu Firefox resolveu dar uma de emo e por motivos cósmicos e estranhos não entra mais no Dashboard do WordPress… E como eu não uso o IE mas nem que me paguem (bom, se me pagarem eu uso sim), eu resolvi usar uma outra ferramenta da Micro$oft Microsoft, o Windows Live Writer, uma bela ferramenta para blogueiros, que eu vi o Caio Novaes indicando. Ele faz milagres! Você apenas digita o endereço do teu blog e ele rouba todas as suas informações pessoais milagrosamente pega todas as informações que precisa sabe-se lá como e então deixa tudo pronto pra você! Uma coisa maravilhosa! E sabe até qual o estilo do blog e deixa você visualizar a postagem do mesmo jeito que ela ficaria se estivesse publicada nesse exato momento! Olhem só um screenshot:

Screenshot

Uma beleza, não? Painel do WordPress nunca mais…

Bom pessoas, uma boa notícia! O professor não passou trabalho de Física 3 para a próxima semana, então isso significa que não vou precisar me matar em cima do caderno esse final de semana, e que eu terei um tempinho livre para começar o texto sobre A Caverna, que na verdade é uma adição ao texto O Guia do Nerd, postado recentemente aqui. Boa notícia para os leitores que ganhei via Twitter ou derivados, que consegui graças ao texto do Nerd! Obrigado pessoal, continuem visitando, prometo que colocarei algo bom de vez em quando e que não esteja relacionado à nerds! Ou não.

Espero que o programa da Microsoft coloque esse post no ar direito, junto com os emoticons que tenho direito, como esse no final da frase. 😉

Apareceu? ;P